Para o disco de freio estar 100% confiável, é preciso ficar atento a todos os detalhes. Por isso, é importante saber fazer o diagnóstico corretamente. Quer saber mais? Confira abaixo como identificar problemas no disco de freio.

 

Como identificar problemas?

Existem alguns sinais que são um alerta de que algo não vai bem com o disco de freio. São eles:

 

Trepidação durante a frenagem

Essas trepidações sentidas quando o freio é acionado podem ser um sinal de que o disco está muito gasto ou empenado. Além do tempo de uso, a colocação de pastilhas de má qualidade ou a instalação incorreta de algum componente pode levar ao desgaste prematuro.

 

Barulhos na roda ao frear

Um forte barulho, como se tivesse um ferro raspando durante a frenagem, indica que algo não está bem. Se as pastilhas estiverem gastas e não forem substituídas, elas podem danificar o disco.

 

Alterações no pedal

O acúmulo de resíduos ou o desgaste irregular no disco de freio prejudica o contato da pastilha com a superfície e, como consequência, a frenagem. Isso costuma ser sentido no pedal, que pode ficar muito duro e obrigar o condutor a pisar com muito mais força.

 

Como fazer o diagnóstico do disco de freio do carro?

Para o mecânico, o primeiro passo é conversar com o proprietário do veículo. Dessa forma, é possível saber quando começou o problema, sob que condições ele aparece, se há algum tipo de barulho e de que lado ele ocorre. Mas com o teste de rodagem você conseguirá ver o defeito no momento em que ele acontece.

Mesmo que o problema se manifeste no disco de freio, ele pode ser apenas um reflexo de uma falha em outro componente, como as pastilhas. Há muitos outros itens do sistema que podem prejudicar a frenagem e, por isso, é importante fazer uma revisão geral em molas, tambor, sapatas, lonas, mangueiras, fluido etc.

Sempre que estiver com um veículo com suspeita de problemas no disco de freio, fique atento aos detalhes: eles são essenciais para fazer um diagnóstico preciso e sem perda de tempo.