Quem não quer o carro limpinho e cheirando bem, não é? É comum que os proprietários mais cuidadosos estejam frequentemente lavando, aspirando e encerando o carro. Mas, além dos odores, é importante pensar na qualidade do ar interno do carro ou a proliferação de bactérias e fungos. É por isso que hoje vamos falar sobre a oxi-sanitização.

A oxi-sanitização é um processo de higienização utilizado em diversas áreas (indústrias, saúde, alimentos, entre outras) e que passou a ser aplicado também na área automotiva, sendo utilizado para combater micro-organismos presentes no ar interior e no sistema de ar-condicionado para a remoção de mau cheiro e odores na área interna de veículos.

 

O gás ozônio é produzido a partir do oxigênio presente no ar por equipamentos chamados “geradores ozônio”, por ser um gás altamente oxidante, que se espalha pelo ambiente. Ele é capaz de reduzir a carga de micro-organismos como vírus, fungos e bactérias e degradar odores de origem orgânica, como o cheiro de cigarro, de mofo e de outros odores desagradáveis do interior dos veículos. Entendeu a importância nos dias atuais?

 

Redução de micro-organismos

O cenário atual, de preocupação com a saúde das pessoas, demanda novos hábitos de higiene e a adoção de novas tecnologias de sanitização nos ambientes que frequentamos, o que inclui os meios de transporte, como os veículos e os automóveis.

Neste contexto, a oxi-sanitização é uma grande aliada, estudos indicam que o ozônio pode reduzir a carga microbiana do ar interior em até 99%, tornando o ambiente mais adequado para a utilização.

 

Redução de odores e cheiros

Além disso, oxi-sanitização tem o poder de degradar odores de origem orgânica, como o cheiro causado pelo suor, pela umidade, pelos resíduos de alimentos, pelo cigarro, pelos pets, entre outros.

 

Sustentabilidade

A oxi-sanitização é considerada uma maneira sustentável de realizar a sanitização interna de veículos e de automóveis, pois se trata de uma tecnologia limpa que não gera resíduos e que dispensa o uso de produtos químicos. Após realizar a ação de combate aos micro-organismos e odores, o ozônio se transforma em oxigênio novamente.

 

Praticidade

O procedimento que deve ser realizado somente por pessoas capacitadas para o uso dos equipamentos é bem simples, não excede o tempo de 30 minutos e deve ser realizado ao final do processo de higienização tradicional.

 

O equipamento é instalado no interior do automóvel com o veículo vazio, vidros fechados e o sistema de ventilação ou ar-condicionado ligado, para que, além da movimentação do ar, o ozônio também tenha acesso às partes internas do sistema de ar-condicionado/ventilação. É importante ressaltar que o ozônio não pode ser aplicado com a presença de pessoas no interior dos ambientes.