A estação chuvosa, que segue até o mês de março, exige atenção redobrada dos motoristas no trânsito, já que o risco de aquaplanagem é grande. Em dias de tempestade, não é recomendado tentar atravessar trechos com alagamentos ou que ultrapassem a altura da metade das rodas do carro.

Áreas alagadas exigem conhecimento das normas de trânsito brasileiras, das condições do veículo, vias e técnicas de direção defensiva. Além da manutenção preventiva, com a verificação do estado de itens como pneus, iluminação e palhetas do para-brisa.

Quando há enchentes, a primeira marcha deve ser mantida engatada, com uma velocidade baixa – mas, sem aumentar demais a aceleração para evitar freada brusca.  Além disso, esse comportamento evita a entrada de água para o interior do motor durante a passagem do veículo.

Ao longo do trajeto, também é importante desligar equipamentos desnecessários, como rádio, ar condicionado e luz interna, já que o veículo pode apresentar aumento de esforço para vencer a resistência da água.

Se o carro morrer em enchentes, o ideal é não dar partida novamente, pois essa ação força o motor e pode piorar ainda mais o quadro mecânico.

Mesmo sem danos aparentes, é importante fazer uma revisão completa no veículo depois de enfrentar um alagamento, que inclui:

  • Avaliação dos componentes mecânicos e eletrônicos;
  • Troca do óleo e filtros;
  • Verificação do óleo da transmissão e dos eixos diferenciais;
  • Checagem do filtro de ar e do sistema elétrico;
  • Limpeza imediata dos estofados, carpetes e sistema de ventilação.

Se não for possível enxergar onde termina o ponto de alagamento, o mais seguro é buscar uma rota alternativa e não passar pelo local.