Na hora de comprar um veículo, é comum as pessoas avaliarem o estilo, o conforto e a dirigibilidade no trânsito urbano, além do preço, que costuma ser decisivo na hora de efetuar a compra. Mas, depois desse “encanto inicial”, muitas vezes descobrem pequenos detalhes onde o carro acaba não suprindo as necessidades no quesito potência, onde o modelo pode ser fraco ou só funcionar bem em alta rotação ou gastar muito.

Para evitar esses tipos de problemas, é interessante conhecer um pouco mais sobre os conceitos de potência e torque, além de saber como avaliar, de forma correta, a eficiência de um motor.. Gostou do assunto? Então continue lendo, você vai curtir!

 

Entendendo as fichas técnicas

Apesar das fábricas sempre informarem a potência de um motor, o torque é algo que deve-se levar em conta nessas horas também. De uma forma bem simples, podemos dizer que ele é a “força” do motor, o que permite o veículo andar pelas ruas, realizar fazer subidas e muito mais Já a potência é a capacidade do motor de realizar uma quantidade de trabalho num certo período de tempo. 

Como as fábricas costumam usar várias medidas, é importante conhecer as principais:

  • Cavalo-vapor (cv): é a unidade padrão para a potência, equivale a 0,73 kW;
  • Horse-power (hp): costuma ser usado como sinônimo, mas equivale a 1,01 cv;
  • Quilowatt (kW): atualmente está muito em uso, é igual a 1,36 cv ou 1,34 hp;
  • Quilograma-força metro (kgf.m): é o mais usado para o torque, equivale a 9,8 N.m;
  • Newton metro (N.m): muitas marcas estão adotando, para deixar o torque “maior”;
  • Rotações por minuto (rpm): sempre acompanha os valores de potência e torque;
  • Centímetro cúbico (cm3 ou cc): é a medida básica de volume, equivale a 0,001 litro.

 

Atente-se com a rotação

Se você usa o veículo como uma ferramenta de trabalho ou um meio de transporte, confira sempre as rotações por minuto indicadas junto com os dados de potência e torque. Prefira os modelos com os menores números de rpm. São melhores de dirigir, mais econômicos e silenciosos nas viagens.

Mas, ao contrário, se você deseja realizar aquele sonho de ter um esportivo, que dê prazer ao dirigir, o motor “fale alto” e o câmbio preciso seja um convite para esticar as marchas até a faixa vermelha, o que deve importar é o valor da potência máxima, nem que tenha que ir além das 7.000 rpm!

 

Analise a fundo e compre bem

Agora que você conhece um pouco mais sobre os dados de potência e torque, na próxima compra de um veículo, vale a pena lembrar desse texto e investir um tempo para estudar as fichas técnicas e comparar as vantagens de cada versão. Ao tomar uma decisão mais racional, a possibilidade de errar é muito menor e acertar em cheio num veículo que irá te surpreender.